Café turco

Qual não foi o meu espanto quando, no pre-departure training organizado pela Agora Aveiro antes da minha vinda para a Eslovénia em Serviço Voluntário Europeu, a T. (Letónia) me disse que na zona Este da Europa, as pessoas não estão muito habituadas a beber café expresso, preferindo, em vez disso, o ritual oferecido pelo café turco.

Mas, afinal, o que é o café turco e porque é que se diz ser um ritual? A preparação deste tipo de café – tão específica que lhe chamam “cozinhar o café” -, nasceu na Turquia e foi disseminada pela influência do império Otomano em diversos países, permanecendo a tradição ainda nos dias de hoje. O ritual consiste, portanto, na cozedura lenta e delicada do café, em que quem o prepara deposita a sua dedicação e tempo. É, assim sendo, algo completamente oposto ao café expresso que a parte ocidental da Europa prepara em um minuto e aspira em três segundos.

Neste caso, o café é moído de forma a deixar os grãos numa textura muito fina semelhante à farinha. Para se cozinhar o café turco, é necessário uma colher e um “cezve” ou “džezva“, cujo material é, normalmente, cobre. Usualmente é servido em chávenas pequenas, encantadora e detalhadamente ornamentadas. Este café tem um segredo: Não deve ser bebido até ao fim – mais uma vez contrariamente ao café expresso, o café turco deve ser bebido com calma e paciência. Bebido de uma só vez pode dar à pessoa a horrível sensação de ter borras na boca.

Hoje tive oportunidade de preparar café turco pela primeira vez – o J. (Eslovénia), que prepara dos melhores cafés turcos que provei, ajudou. Então, vamos lá a saber a receita:

  1. Adicionar no cezve a medida de uma chávena de água por cada chávena a servir.
  2. Adicionar à água uma colher de chá cheia/colher de sobremesa de café por cada chávena a servir.
  3. Adicionar à mistura anterior uma colher de chá de açúcar por chávena a servir.
  4. Colocar o cezve em lume brando, deixando aquecer lentamente.
  5. Com uma colher, mexer delicadamente a mistura até que o açúcar se dissolva.
  6. Quando começar a formar-se espuma, deve retirar-se o café do lume, depositando com a ajuda de uma colher um pouco da espuma em cada chávena. Posteriormente, o cezve deve voltar ao lume brando.
  7. Sem deixar que o café entre em ebulição, aguarda-se até que suba novamente. Assim que subir, apaga-se o lume e o café está pronto a servir.
  8. O café não deve ser despejado de uma vez em cada chávena até que fique cheia. Assim sendo, e por modo a respeitar as diversas camadas do café turco, este deve ser cautelosamente e gradualmente distribuído por cada chávena (por exemplo, numa primeira volta distribuir o café até meio de cada chávena e, suavemente, numa segunda volta distribuir o restante do líquido).

Deve ter-se o cuidado de não agitar o café depois de servido, por forma a não perturbar o sedimento que fica no fundo da chávena, caso contrário as várias texturas vão misturar-se tornando o café numa mistela sem sabor e com borras. Por isso mesmo, o café turco é servido sem colher, não sendo possível adicionar mais açúcar ou mel, ou o que quer que seja, no fim de pronto. O objectivo final é que cada chávena de café turco contenha um líquido de tonalidade acastanhada, espumoso e aromático.

Para ser franca, eu não gostava de café, mas o café turco assenta-me que nem uma luva – a delicadeza da sua preparação e o seu sabor e cheiro já fazem parte da minha rotina diária. Como disse, aqui na Eslovénia, o café é normalmente acompanhado com um copo de água. E, para os mais susceptíveis, com este café é ainda possível que nos leiam a sina.

007

Imagino que esteja a parecer muito complicado, mas na verdade não é! Contudo, como em tudo na vida, requer prática e dedicação. Acima está o exemplo de um belíssimo e delicioso café turco preparado pelos nossos participantes da Turquia no Youth Exchange que teve lugar no mês passado, em Kostanjevica na Krki.11874024_930661560310948_684474705_n

É preciso ter em atenção o tipo de café que se compra para cozinhar o café turco. Na Eslovénia, uma das marcas mais comuns é o BARCAFFÉ, originalmente produzida neste país ainda no tempo em que pertencia à Jugoslávia (lê-se “Iuguslávia“). No entanto, sortuda como sou, tive direito a um pacote de café turco directamente vindo da Turquia que me foi oferecido pela J. (Portugal), e que é divinal!

Se passarem pelos Balcãs, aconselho vivamente a experimentarem este ritual tão merecidamente apreciado!

Anúncios

2 thoughts on “Café turco

  1. Oh paaah.. Já bebi bastantes, a maioria por engano (pedir kava ou cofee em vez de expresso), e o único que consegui beber até hoje com algum prazer foi mesmo o que as nossas amigas Turcas nos fizeram.. De resto prefiro o expresso português, de preferência vindo do Brasil ou Timor 🙂

  2. Pois é, Gonçalo, compreendo-te. Também já bebi muitos cafés turcos que eram uma mistela de qualquer coisa esquisita e nada agradável. E como se vê pela receita, é algo que leva o seu tempo e precisa ser feito com atenção (não dá para estar a fazer outras coisas ao mesmo tempo e esperar que o café saia bem). Sabe-me bem parar e fazer este ritual, arrumar as ideias e saborear o café 🙂

Escrever uma nota

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s